8 de março | 2016 dia internacional das mulheres | dia de luta e de festa
O dia 8 de março simboliza, em todo o mundo, a luta das mulheres pelos seus direitos.

Celebrar o 8 de março é homenagear todas as mulheres que durante mais de dois séculos lutaram ativamente contra as opressões e múltiplas discriminações: desde as operárias norte-americanas e russas que pagaram com a sua vida a reivindicação de melhores condições de trabalho, passando pelas sufragistas inglesas que reclamavam o simples direito ao voto e, ainda, todas aquelas que nas décadas de 60 e 70 do século XX ousaram reivindicar o direito ao seu corpo, que passava pelo controlo da natalidade, pela liberdade da sua sexualidade e pela luta contra a violência sobre as mulheres.

Por tudo isto, o 8 de março é um dia de festa, de valorização das mulheres, da memória histórica dos feminismos, que mais não são do que essas mesmas lutas, tantas vezes esquecidas, pois os silêncios que caem sobre elas ainda estão por quebrar.

Mas o 8 de março é também um dia para lembrarmos o muito que ainda há por alcançar e para lutar. A reposição do direito à interrupção da gravidez e a legislação sobre a adoção e coadopção são mudanças positivas mas que não nos fazem esquecer o que falta fazer.

As leis não são sempre aplicadas à vida. Os quotidianos das mulheres continuam dominados pelas precariedades no emprego, nas muitas incertezas de futuro, nas discriminações que pesam em vários campos da vida, entre as quais as discriminações salariais, as violências em casa, no espaço público, no trabalho. A sociedade ainda considera as mulheres como cidadãs "de segunda", quando as empurra para casa para servirem de infra-estrutura de apoio às famílias e quando as condiciona na participação política e social.

No ano em que faz 40 anos, a UMAR/ União de Mulheres Alternativa e Resposta renova o seu compromisso: estar sempre ao lado das mulheres na luta pela igualdade plena.

pdfComunicado