Comunicado - Dia Internacional da Mulher
quebrar barreirasHoje assinala-se o dia Internacional da Mulher e no meio de tantas mulheres com características tão diversas não podemos esquecer as mulheres idosas. Sabemos que a esperança média de vida para as mulheres está situada nos 82,3 anos comparativamente aos homens com 76,4 anos. No entanto, esta maior longevidade não significa para as mulheres idosas maior esperança média de vida saudável. As mulheres mais velhas apresentam maiores problemas de saúde, nomeadamente, doenças crónicas em função da sua maior longevidade: são mais afectadas por doenças reumáticas, depressões e ansiedade crónica. A violência contra mulheres idosas representa um flagelo preocupante na nossa sociedade portuguesa. Quatro em cada dez mulheres com 60 ou mais anos afirmam ter sido vítimas de abuso ou violência, sobretudo emocional ou psicológica. O baixo nível de escolaridade das mulheres idosas, ou mesmo a sua inexistência, revela a forte desigualdade das mulheres no acesso à educação há cerca de meio século atrás. As tarefas do cuidar e a responsabilização da educação d@s filh@s por parte das mulheres, os trabalhos pagos a tempo parcial e os baixos salários que auferiram ao longo da sua idade activa proporciona-lhes hoje uma maior vulnerabilidade económica levando-nos a considerar que a pobreza cada vez mais assume um rosto feminino.

Por uma maior esperança média de vida com qualidade, pela eliminação de todas as formas de violência contra as mulheres, por um melhor e maior acesso a cuidados de saúde, por melhores reformas e pela dignidade de todas as mulheres desejamos a todas as mulheres idosas um Feliz Dia Internacional da Mulher.