EM TEMPOS DE ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS CARTA ABERTA AOS PARTIDOS POLÍTICOS
As autarquias locais são os órgãos do poder político com maior proximidade às pessoas.

As mulheres vivem grande parte dos seus quotidianos numa relação de proximidade com as realidades locais. Das respostas que existem ou não nos contextos sociais, culturais, económicos de cada autarquia, também depende a sua qualidade de vida.

A Igualdade de Género não é uma expressão vã.

Não existe apenas para os discursos políticos. Tem de se traduzir em propostas concretas em cada autarquia.

Estão, ou não, as mulheres em cargos de decisão no poder autárquico?

Não apenas nas listas eleitorais, por altura das campanhas, mas mantendo-se como apostas reais dos seus partidos, no exercício dos mandatos autárquicos.
Pretende-se uma prática de Igualdade de Género no funcionamento efectivo dos órgãos autárquicos?

Que contributos pode dar uma autarquia para dinamizar nas escolas, nas atividades culturais, sociais e desportivas dos/as jovens os valores da Igualdade de Género e da Não Violência?
Apresentam os partidos políticos respostas para o apoio a mulheres vítimas de violência nos concelhos onde se candidatam?

Que contributos pode dar uma autarquia para combater a pobreza, em especial das mulheres mais idosas e criar emprego para jovens para que não saiam dos concelhos onde vivem?
Como pretendem combater as mentalidades patriarcais e sexistas que alimentam as desigualdades e as discriminações de género?

Como pretendem combater a intersecção destas questões de género com outras discriminações, nomeadamente as relacionadas com a idade, a segregação de imigrantes, de minorias sexuais e étnicas, de pessoas com incapacidades?

Como tornar o espaço público amigo do ambiente e mais seguro de modo a que exista uma maior fruição desses espaços por pessoas de diversas idades e com capacidades diferenciadas?
Estas são algumas das questões que gostaríamos que os partidos políticos, que se candidatam às eleições autárquicas pudessem responder.

A UMAR como associação feminista gostaria de debater publicamente com os partidos políticos que quiserem aceitar este desafio em cada concelho ou freguesia.

Temos a certeza que será um debate construtivo, capaz de apresentar propostas e de contribuir para a territorialização da Igualdade de Género.

12 de Setembro, 2017